2 de novembro de 2007

Não é bom "saber tudo"

Vi uma vez, no nick de um amigo, a seguinte frase: "Quando a gente pensa que sabe todas as respostas, vem a vida e muda todas as perguntas.".
Visto desta maneira, parece-me óbvio que isto se trata de algo mau; mas,
será que se nós soubéssemos todas as respostas vivíamos? Eu diria que não, uma vez que, sabendo todas as respostas deixamos de ter uma meta, um objectivo. Eu, pessoalmente, não acho que isso seja, de algum modo, agradável. Como disse uma vez Oscar Wilde: "Só há duas tragédias na vida: uma é não se conseguir o que se quer, a outra é consegui-lo."; isto porque, uma vez alcançados todos os objectivos de vida, uma pessoa não tem nada que possa fazer, deixa de ter uma meta, deixa de ter ambição, fica, literalmente, à espera do fim. Eu considero que isso não é viver.
Por isso, e voltando à frase inicial, se nós sabemos todas as respostas, isto é, alcançamos as nossas metas, a vida muda-nos as perguntas, ou seja, refazemos as nossas metas e tentamos agora responder a perguntas novas.