13 de janeiro de 2011

Ser criança.

Uma vez, em conversa com uma amiga, a Ir. Ana Carvalho, disse, como costumo dizer muitas vezes, que "ser criança é um estado de espírito". Na sequência disso, ela fez-me esta pergunta no meu formspring, cuja resposta resolvi partilhar hoje aqui no blogue (isto foi já há cerca de 7 meses no final do ano lectivo 2009/2010):




«Ser criança é um estado de espírito» O que é ser criança?


Costumo dizer que ser criança é um estado de espírito, a infância é um tempo que não passa desde que o queiramos eternizar. Para mim, ser criança é ter os olhos sempre abertos à eterna novidade que o mundo tem para nos oferecer. É saber acordar todos os dias com um sorriso e encarar a vida como algo que vale a pena e que tem que se aproveitar. É sonhar, sonhar muito, ser feliz com o que se tem e não infeliz por se querer ter mais. É dizer que se conhece uma pessoa quando se sabe aquilo de que gosta ou não gosta e não quando se sabe quanto mede, que idade tem e se é bonito ou feio. É ser-se sincero e dizer-se aquilo que se sente sem nunca ter a intenção de magoar ninguém. É saber perdoar os outros pelo que lhes fazem e saber dizer "gosto de ti" ou "és especial para mim" àqueles de quem se gosta. É ver mais do que vêem os olhos ("o essencial é invisível aos olhos"), como o Principezinho que pediu uma ovelha desenhada e rejeitou vários desenhos em que ela parecia débil; o aviador, já sem paciência desenhou uma caixa e disse «Isto é a caixa. A ovelha que tu queres está lá dentro.», o rosto dele ilumina-se e ele diz «Era mesmo, mesmo assim que eu queria! Achas que esta ovelha vai precisar de muita erva?». É importar-se com o que realmente importa (peço desculpa por ser tão repetitivo, mas tenho de voltar a citar o meu pequeno amigo do asteróide B 612: «As flores fabricam espinhos há muitos milhões de anos. Apesar disso, as ovelhas comem flores há muitos milhões de anos. E vens-me tu agora dizer que tentar perceber por que é que elas têm tanto trabalho a fabricar espinhos que nunca lhes servem para nada não é uma coisa séria! Que a guerra entre as ovelhas e as flores não é uma coisa importante!»). Ser criança é amar a vida, o mundo e as pessoas, é não conhecer o ódio nem o desprezo. E é isso que tento ser a cada dia, dar o melhor de mim às pessoas e ao mundo. Por vezes é difícil, porque o convívio com as pessoas grandes me envelheceu um pouco, mas enquanto puder olhar para o sorriso de uma criança e conseguir ver aquela inocência e pureza verdadeira, serei feliz. As pessoas grandes discriminam, desprezam, odeiam, falam mal, matam, etc. As crianças amam, apenas! Talvez se todos nós fôssemos um bocadinho menos crescidos e um bocadinho mais crianças, o mundo fosse muito melhor!
Mas o pior que as pessoas grandes fazem é tornar as crianças em pessoas grandes, «Porque todas as pessoas grandes já foram crianças. (Há é poucas que se lembrem disso.)».
Eu NUNCA quero deixar de ser criança, NUNCA quero deixar de amar nem de sorrir cada vez que o mundo me coloca um obstáculo.
(Peço desculpa por me ter alongado tanto na resposta, mas era completamente inevitável!)

23 comentários:

Paula disse...

e é por isso que serei sempre sempre uma criança de espírito. E que concordo plenamente com a tua frase 'ser criança é um estado de espírito'.

:D

PR" disse...

Devo dizer-te que olhei para isto num dia dificil. Foram uns deliciosos sorrisos que por aqui deixei.
"mas enquanto puder olhar para o sorriso de uma criança e conseguir ver aquela inocência e pureza verdadeira, serei feliz." Desarmaste-me. E cresceu uma vontade de para lá voltar, de lá ficar, de lá não sair.
Mando-te um mail assim que ganhar coragem para deitar tudo.
Obrigada.*

carlota silva disse...

eu adorava arranjar cabeça p ler o principezinho, já adio isto faz tempo. mas nem te peço opinião, vais dar-ma com toda a certeza nué? ahah
qnt ás crianças e ao ser-se uma, eu de facto concordo com tudo o q dzs e duvido q tenha mais alguma coisa a acrescentar. very very nice;)

honney m disse...

adoro, segui-te (:

Viagem Sem Retorno disse...

tenho saudades de ser criança :(

Aproveito para deixar o endereço do meu blog http://viagemsemretorno.blogspot.com/

Muxima Chasing Hands disse...

Olá, em colaboração com mais 4elementos faço parte de um grupo que tem como objectivo a divulgação dos vários tipos de voluntariado. Gostariamos que acompanhasses o nosso trabalho. Para saberes mais vai ao nosso site e tens lá mais informações.
http://soul-of-muxima.blogspot.com
Agradeço desde já, em nome de todo o grupo, a tua atenção. :)

BlackCat disse...

A vida dá.nos uma oportunidade mas nos não damos. E porque? Porque nem sempre achamos que o mais correcto será dar uma segunda oportunidade.
Em relaÇao a este texto, concordo plenamente so que por vezes esquecemo.nos da nossa crianÇa interior e a vida torna.se muito mais seria e stressante tornando as pessoas mais infelizes por isso é bom por vezes termos uma espécie de flash mental e cometer uma loucura que se fosse cometida em crianÇa nao traria consequencias muito negativas relembrando assim a nossa ingenuidade infantil.
(peÇo desculpa pelo comentario extremamente longo mas nao pude evitar :b)

BlackCat* disse...

Por isso mesmo! Se a vida nao dá tempo para baixarmos a cabeÇa nos, o ser humano, nao corre o risco uma segunda vez para nao voltar ao mesmo, ou seja, andar "a morrer pelos cantos" como se diz. Se for uma loucura de um só dia penso que não ha problema nenhum mesmo ate pelo contrário! Agora se for daquelas loucuras que é para o teu bem estar e magoas outra pessoa que tiver envolvida, aí ja penso de maneira diferente.

BlackCat* disse...

penso que recebest o meu comentario Oo
mandar posts pelo telemovel não da em nada

Filipa De Castro disse...

ohm obrigada :)
também gostei do post e dos blogues, sigoo!

Pois, eu disse...

Obrigada ;)

Está tão bonito :$

inês disse...

obrigadaaa ;D
e sim, concordo com isso.. mas pronto, o pior já passou :)

BlackCat* disse...

Mas o ser humano, na fervura do momento nao distingue o prazer pessoal da mágoa que pode causar.

BlackCat* disse...

Sim ta certo, e toda a gente comete loucuras pode é não ser todos os dias mas cada um comete loucuras que para outros pode nao ser uma loucura pode ser uma coise medíocre. E muitos de nos nao dão segundas ou terceiras oportunidades porq nao querem cair na mesma asneira.

BlackCat* disse...

Olha sabes que mais?ambos temos razao, se continuássemos esta discussao nunca mais saíamos daqui >.< uma coisa é certa cada um decide se deve ou nao agarrar ou dar uma segunda oportunidade.

BlackCat* disse...

Pois bem foi uma conversa entao :b uma troca de ideais, com a conclusão: ambos, concordamos na maioria das ideias.

márcia disse...

muitooo obrigada*

c. disse...

obrigada (:
é uma ela xD

Anônimo disse...

A escritora deste blog deixa-me verdadeiramente hipnotizado! De uma sensibilidade ímpar! Parabéns!

ti em mim disse...

obrigado pelo comentário "anónimo" (:

(já agora, sou um, não uma!)

Filipa De Castro disse...

gostei do texto :)
selo para ti no meu blogue

Filipa De Castro disse...

de nada :)

vera disse...

englobando isso já tudo o resto - lutar, aprender, lidar, etc - certo? porque hoje em dia, ter apenas um «sentimentos suficientemente forte», como disseste, já não chega.